Sábado, 17 de Fevereiro de 2007

Balancete

Desde o dia 23 de Janeiro passado até ontem, 16 de Fevereiro, o recém nascido Securitas foi visitado 1000 (mil)  vezes, colocou 41 posts, recebeu 122 comentários, foram folheadas 6414 páginas; os visitantes são oriundos de muito  Portugal , do Brasil, da Bélgica, da Holanda, do Luxemburgo, do Reino Unido, do Perú e de paises "desconhecidos".

 Animado pelos números, que parecem precoces, Zé Guita não está satisfeito com os resultados quanto aos conteúdos. Os posts, embora procurando ser sistemáticos, navegam  um tanto ao sabor de ventos e marés, como acontece   na navegação à vista. Os comentários, alguns substanciais, colocam em destaque certos temas mas sabem a pouco (os pirilampos 7, 8, 11, 13, 14 não estão comentados),  parecendo que estamos "afunilados" em pouco mais do que um diálogo.

Mesmo apenas um diálogo, apesar de pouco representativo, pode fazer voar idéias merecedoras de atenção. Mas o Zé Guita é ambicioso e vislumbra uma oportunidade para, na presente conjuntura de tempo de vésperas para as forças de segurança interna, tornar possível escutar as opiniões individuais de cidadãos interessados na matéria, através deste medium ágil e informal. Poderia constituir um modo de veicular  algumas correntes de opinião a ponderar. Caso tal se conseguisse, a inteligência de um  Poder democrático e não omnisciente   não iria ignorá-las. E mesmo que tais opiniões não passassem disso mesmo, os seus autores, cidadãos de bem,  ficariam com a consciência em paz: haveriam dado a sua participação, não se remetendo ao silêncio.

Vale sempre a pena, quando a alma não é pequena.

Navegar é preciso.   

 

 

sinto-me: animado.
publicado por Zé Guita às 07:37
link do post | comentar | favorito
|
6 comentários:
De "ABUSUS" a 17 de Fevereiro de 2007 às 16:01
Medo hierarquico
Muitos visitante gostariam de expressar o que lhes vai na alma, mas...desconhecendo os "mistérios" do meio utilizado - internet - "abrigam-se" de um certo "terrorismo «virtual»". Ainda há um "trauma": "medo hierarquico"!
No imaginário dos potenciais comentadores ainda existem os "ecos" das palavras de «Arthur Koestler (1905-1983): " Uma silhueta inclinou-se sobre ele, sentiu-lhe o couro novo do cinturão; mas que insígnia trazia ele nas mangas e nas dragonas do seu uniforme - e em nome de quem arguia o cano negro da sua pistola?".

A prisão, que acompanha a história dos homens, ou as penas disciplinares, até nem são o mal maior. Agora o abuso do poder daqueles que acrescentam a essas penas o desrespeito do ajuste de conras, do vexame, da humilhação; é que "arruina" toda a motivação e/ou interesse em ser parte activa e critica quanto aos temas apresentados neste "blogue".
A restruturação das forças policiais esta em curso à margem das bases dos seus próprios elementos. A discussão sobre a matéria em análise não dá dignidade para nela participar. Os fiéis depositários da história, dos simbolismo castrenses, da exaltação de grupo, etc...ficaram prisioneiros dos que, por interesses economicos e visibilidade política, lhes roubaram a "alma", as praxes, a camaradagem, a dignidade social e profissional.
Um abraço
"ABUSUS"


De Spider a 17 de Fevereiro de 2007 às 18:58
Que importância terão os cidadãos quando nas reestruturações nem as próprias instituições interessadas são ouvidas sobre o assunto? Que propostas apresentarão se não conseguem visionar a Guarda a mais de 5 minutos? Efectuar estudos prospectivos é muito complicado e exige conhecimento?
Apesar disso a alma talvez descanse!!!


De Anónimo a 20 de Fevereiro de 2007 às 14:36
A Sr.ª Dona Valentina, no Expresso do último fim de semana escreveu assim:


Nomeações à medida


Com Mourato Nunes nunca mais houve concursos. As escolhas para postos de representação externa, com salários elevados, são suas.


O comandante-geral designou o chefe de gabinete para Madrid

O comandante-geral da GNR está debaixo de fogo de oficiais da sua instituição, que foram impedidos de concorrer a postos de representação externa da Guarda. Em causa estão lugares como os de oficial de ligação em embaixadas no estrangeiro - com elevados salários - ou em entidades nacionais (como Ministérios, Protecção Civil, SIS ou tribunais) e postos em missões internacionais.

No passado, o preenchimento destes lugares era quase sempre feito através de um ‘concurso’, designado internamente por ‘convite à ordem’, mas com o actual comandante-geral, general Mourato Nunes, a nomeação para essas colocações passou a ser por escolha sua, sem serem conhecidos publicamente os critérios.

As duas últimas nomeações fizeram estalar a contestação. Uma, foi a do seu chefe-de-gabinete, o tenente-coronel Arménio Pedroso, designado para a Embaixada portuguesa em Madrid (com um salário de aproximadamente 15 mil euros mensais). A outra, a do major Paulo Soares, responsável pelas relações internacionais do seu gabinete, para a representação diplomática em Moçambique (com um vencimento de cerca de 14 mil euros por mês).

Uma lista interna feita pelos oficias contestatários e a que o Expresso teve acesso, dá conta de mais de quarenta oficiais colocados nestas condições.

A Associação de Profissionais da Guarda, nota que “o que antes era excepção, as nomeações por escolha, agora tornou-se regra e isto está a causar um ambiente muito pesado entre os oficiais”, assevera o presidente José Manageiro. Para o dirigente da outra associação mais representativa da GNR (Associação Sócio-Profissional Independente da Guarda), José Alho, “é monstruoso o que está a acontecer. Não há transparência de critérios nem legalidade nestes processos. É o poder discricionário do general comandante-geral o único que conta”.

Em representação dos oficiais, o coronel, na reserva, Ferreira Leite, presidente da Associação de Oficiais da Guarda e jurista, sublinha que estes processos “violam as leis da República”. “O estatuto da Guarda é omisso nesta matéria e por isso aplicam-se as leis gerais. Ora, estas são claras: o poder discricionário tem de ser fundamentado, de facto e de direito, e por isso os critérios utilizados para a escolha têm que ser públicos e transparentes. Qualquer militar tem direito de contestar e para isso tem de conhecer os critérios”, destaca este oficial superior.

O porta-voz oficial de Mourato Nunes não vê motivo para a contestação. “Sempre foi assim. Estes lugares são de grande responsabilidade e por isso o comandante-geral assume as nomeações. Não faz nada de ilegal ou irregular”. Quanto às colocações de Madrid e Moçambique, esta fonte defende que “mesmo com concurso, dificilmente alguém teria um currículo melhor que estes dois oficiais”. Recorde-se que, recentemente, três oficiais da GNR nomeados por Mourato Nunes para Timor, foram chumbados pela ONU por não cumprirem os requisitos.

Valentina Marcelino

Comentário de um asno:
É de General!!! Aqui quem manda sou eu!
Tenha cuidado como que está a acontecer ao Fontão de Carvalho. Se for verdade aquela história do "subsídio" dos Serviços Sociais, a coisa ainda pode dar molho. Agora somos nós a "contribuir" directamente para os bolsos de Sexa.



De Zé Guita a 20 de Fevereiro de 2007 às 14:50
De Zé Guita a 20 de Fevereiro de 2007 às 14:35
Ilustre desconhecido:
Também li o Expresso e fiz sobre o escrito que refere o meu juízo pessoal. Não o trago para aqui, pois como tenho procurado tornar bem claro o Securitas pretende estar longe de "mexericos". E dispensa a reprodução de escritos desse tipo.
Apenas recordo que sou adepto do respeito pelo contraditório e pelas decisões do comandante uma vez tomadas. Se estas me ferem, tomo pessoal e frontalmente as posições que entender legítimas.
Prefiro vestir a farda enlameada do que lavá-la assim. Creio que se trata de processo bastante civilista, que me parece marcado por grande relativismo moral.
Feitios! Desta parte, de um velho guita, caturra mas virado para o futuro.


De Zé Guita a 20 de Fevereiro de 2007 às 15:48
Ilustre desconhecido:
Li o seu novo comentário, que rejeito por coerência com a linha editorial que estabeleci e pretendo manter: recusa de personalizar as questões, bem como de confrontos pessoais.
Só vale a pena manter este blog se formos capazes de o manter ao nível da discussão de ideias .
Por mais desagradável que possa ser (possivelmente serei taxado de "antidemocrático", mas já me apelidaram de " mao tse tung "...) compete-me a mim, timoneiro, conduzir o barco. Claro que me arrisco a ter dificuldades com a tripulação, cujo bem estar muito desejo. Mas nesta nave só embarca quem quiser. A vontade que me ata ao leme ainda não enfraqueceu.


Comentar post

.mais sobre mim: ver "Zé Guita quem é"

.pesquisar

 

.Janeiro 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

23
24
25
26
27
28

30
31


.posts recentes

. COMPETIÇÃO OU COOPERAÇÃO ...

. DESORGANIZAÇÃO E DESORDEM

. DIA DA INDEPENDÊNCIA NACI...

. A SOCIEDADE ESPECTÁCULO

. ECONOMICISMO, OPINIÕES E ...

. LEITURAS - 2ª Edição

. APROXIMAÇÃO À MATRIZ

. MAIS QUESTÕES CANDENTES

. LEITURAS!!!

. QUESTÕES CANDENTES

.arquivos

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

.tags

. todas as tags

.links

.Portal dos Sites

.publog

.Comunidade

Estou no Blog.com.pt
blogs SAPO

.subscrever feeds

RSSPosts

RSSComentários

RSSComentários do post