Terça-feira, 30 de Setembro de 2008

EQUÍVOCOS DA DESMILITARIZAÇÃO

          O movimento ideológico e político defensor da desmilitarização dos corpos militares de polícia esteve na moda  e ainda não terminou completamente. Os casos grego, belga e austríaco são motivos para estudo desapaixonado. A desmilitarização terá sido sobretudo formal e mesmo  aparente. 

          A desmilitarização, invocada por vezes com razões de facto outras vezes por motivos corporativistas e oportunistas, outras ainda por moda, acabou por constituir assunto justificativo para reorganizar profundamente a polícia.

          Aos diversos actores envolvidos na reorganização, há que recordar uma realidade que se tem mantido quase silenciada: em simultâneo com a policialização/desmilitarizaão dos corpos militares de polícia verifica-se uma cada vez mais forte militarização dos corpos civis de polícia. Para lá das operações cosméticas que visam afastar o "fantasma de César", desenvolvem-se nos corpos civis de polícia características militares que configuram e favorecem o "fantasma de Fouché".

          A militarização crescente dos aparelhos policiais ditos civis é notória na multiplicação das unidades especiais de intervenção com figurino militar (comando, armamento, uniformes, mentalidade, treino),  tanto na Europa como na América.

           Pode constatar-se que é a natureza da conflitualidade a enfrentar que determina o tipo de força a empenhar. E as ameaças são cada vez mais frequentes e complexas, o que exige forças da ordem cada vez mais bem organizadas e musculadas. Tudo levando a apontar como falacioso o argumento da desmilitarização policial. 

           

publicado por Zé Guita às 15:41
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|
Domingo, 21 de Setembro de 2008

LANÇAMENTO DE LIVRO

          Na próxima 5ª feira, dia 25 de Setembro, pelas 17h00, no Quartel do Carmo, vai ser realizado o lançamento do livro EM BUSCA DE UMA SOCIOLOGIA DA POLÍCIA, da autoria do "pai" do Zé Guita.

 

          Fará a apresentação o Professor ADRIANO MOREIRA.

 

          A edição (2000 exemplares, 350 páginas) pertence à Revista da GNR. Inclue um Prefácio do CG General Mourato Nunes e uma Introdução alargada do autor; quanto ao resto, consta principalmente de uma colectânea, temáticamente ordenada, de 33 artigos publicados na Revista da Guarda.

 

          O autor deseja partilhar a circunstância com camaradas da "Velha" e da actual Guarda, amigos e interessados na matéria em questão, pedindo reflexão crítica sobre a mesma.

 

 

publicado por Zé Guita às 15:36
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Domingo, 14 de Setembro de 2008

INSEGURANÇA E POLÍCIA - II

          A partir da doutrina de Bittner  - segundo Brodeur - é possível caracterizar do seguinte modo a intervenção coercitiva da polícia em situções que não deveriam acontecer e em relação às quais é necessário fazer alguma coisa: 

 

- a intervenção é urgente e pontual;

- a intervenção  dá-se em contexto de crise e é dramática;

- a intervenção, e também os seu alvos, é mais individual do que colectiva; 

- a intervenção é mais reactiva do que proactiva;

- a intervenção relaciona-se mais vezes com a manutenção individual da paz do que com a repressão do crime;

- a intervenção  não corresponde tanto às normas dum saber explícito e partilhado, antes constitui uma arte;

-  as soluções conseguidas pela intervenção policial são provisórias.

 

 

 

publicado por Zé Guita às 12:28
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 5 de Setembro de 2008

INSEGURANÇA E POLÍCIA

          Face à onda de violência e  insegurança que vem crescendo, parece oportuno lembrar um conceito sociológico (não jurídico) de polícia, já inicialmente apontado no post Conceito de Polícia, procurando esclarecer qual o seu núcleo central nas sociedades modernas. Apesar de não ser políticamente correcto no entender de alguns ideólogos e políticos, corresponde à realidade dos factos:

 

         " POLÍCIA: uma organização sistematicamente enquadrada por regras jurídicas, composta por agentes especialmente recrutados e formados para exercerem a força física, em todas as situações em que este recurso constitua uma necessidade urgente para resolver os problemas que vão surgindo. Em suma, o papel da polícia é tratar de qualquer espécie de problemas humanos quando, e na medida em que, a sua solução necessita ou pode necessitar do uso da força, no lugar e no momento em que eles surjam."

Egon Bittner

 

 

publicado por Zé Guita às 11:29
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim: ver "Zé Guita quem é"

.pesquisar

 

.Janeiro 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

23
24
25
26
27
28

30
31


.posts recentes

. COMPETIÇÃO OU COOPERAÇÃO ...

. DESORGANIZAÇÃO E DESORDEM

. DIA DA INDEPENDÊNCIA NACI...

. A SOCIEDADE ESPECTÁCULO

. ECONOMICISMO, OPINIÕES E ...

. LEITURAS - 2ª Edição

. APROXIMAÇÃO À MATRIZ

. MAIS QUESTÕES CANDENTES

. LEITURAS!!!

. QUESTÕES CANDENTES

.arquivos

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

.tags

. todas as tags

.links

.Portal dos Sites

.publog

.Comunidade

Estou no Blog.com.pt
blogs SAPO

.subscrever feeds

RSSPosts

RSSComentários