Terça-feira, 23 de Janeiro de 2007

Conceito de SEGURANÇA

     Tendo em conta a temática indicada, é curial começar por esclarecer o que se entende por SEGURANÇA.
     Da pesquisa realizada resultou encontrar muitas definições, mas praticamente todas elas ligadas à abordagem de disciplinas específicas. Num manual americano de Security Administration encontra-se, entre muitas, uma definição operacional bastante genérica, embora não completamente satisfatória. Mas proporcionou uma adaptação muito abrangente, aceitável quer a nível macro quer micro – tornada pública em artigo inserido na revista Pela Lei e Pela Grei, de Janeiro/Março de 1995 – e que até agora não mereceu qualquer contraposição conhecida.
     Foi com grande interesse que me apressei a procurar o novo conceito de segurança amplamente anunciado na apresentação pública do Relatório Preliminar sobre o “Estudo para a Reforma do Modelo de Organização do Sistema de Segurança Interna”. Encontrei uma boa análise de características, factores e evolução actuais da segurança, que parece bastante marcada pela corrente de pensamento e acção que visa substituir a abordagem “Defesa Nacional” pela emergente “Segurança e Defesa” e vem abordando as questões num nível predominantemente macro. Fui encaminhado para a ideia de governance, mas não encontrei uma definição clara de segurança.
       
     Assim, até que um melhor o substitua, mantenho a adopção do seguinte conceito operacional de segurança, que me parece largamente utilizável - seja no âmbito da Segurança do Trabalho ou da Segurança Contra Catástrofes ou da Segurança Contra Delinquência ou mesmo da Segurança e Defesa -  e fica exposto à discussão:
 
     “Segurança é o estado ou condição que se estabelece num determinado ambiente, através da utilização de medidas adequadas, com vista à sua preservação e à conduta de actividades, no seu interior ou em seu proveito, sem rupturas.”
  
     Por ambiente compreenda-se um qualquer espaço mais tudo o que ele contenha, sejam pessoas, instalações, equipamentos, actividades, conhecimento, etc; por rupturas entendam-se quaisquer interrupções abruptas, não desejadas e susceptíveis de causar danos.
Saudações do Zé Guita
 
sinto-me: na dúvida
tags:
publicado por Zé Guita às 12:59
link do post | comentar | favorito
|
5 comentários:
De Alexandre de Sousa a 24 de Janeiro de 2007 às 02:00
Eu não teria definição melhor. Onde conseguiu essa?


De Zé Guita a 24 de Janeiro de 2007 às 22:23
O conceito operacional em questão, divulgado no estudo "SEGURANÇA ... O QUE É?" - inserto na revista da GNR , PELA LEI E PELA GREI, referida no post - foi eleborado por Armando Carlos Alves, oficial da mesma Guarda.


De Vigilante a 17 de Fevereiro de 2007 às 18:50
Zé Guita,
foi com satisfação que verifiquei o interesse demonstrado pelo seu blog para discutir assuntos sobre a GNR e talvez sobre as forças de segurança.
No entanto, sendo um oficial na reserva ou reforma gostaria de saber como espera contribuir para uma elevação dessa Guarda à excelência. Tive oportunidade de contactar uns amigos da GNR que me referiram que o Sr esteve ausente da mesma em outros serviços durante vários anos, ou seja, quando devia ter um papel activo e actuante estava ausente.
Quais as mais valias que pretende atingir e como pretende dinamizar este blog?
Um abraço e até outras intervenções.


De Zé Guita a 19 de Fevereiro de 2007 às 00:51
Para Vigilante:
A sua satisfação muito me honra.
Acontecendo que estou inexoravelmente reformado, continuo no entanto a ser "guita" e sou desde há muito um cidadão que procura exercer a cidadania. Espero contribuir com aquilo em que acredito, modestamente embora, porque ainda estou vivo, leio, estudo, penso há mais de uma duzia de anos sobres as matérias em questão e esforço-me por não cristalizar. E o pensamento voa: quando ganha asas, consegue fazer notar, lembrar, sugerir...
Quanto à ausência, sempre lhe digo que tive e tenho um forte sentimento de pertença institucional e nunca "despi a camisola". Aliás, ela continua colada ao corpo.
Fui activo quanto esteve ao meu alcance. E estou certo que o fui mais que muitos. Não vou maçá-lo a descrever como.
Creio que, para as demais questões que coloca, encontrará respostas bastantes na leitura do Securitas, caso queira dar-nos o privilégio da sua companhia.


De lost soul a 10 de Dezembro de 2010 às 03:30
conceito de segurança é um conjunto de acções passivas e activas de modo a proteger alguém, ou grupo de pessoas; as acções vão desde prevenção até à reacção , caso seja necessário.....


Comentar post

.mais sobre mim: ver "Zé Guita quem é"

.pesquisar

 

.Janeiro 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

23
24
25
26
27
28

30
31


.posts recentes

. COMPETIÇÃO OU COOPERAÇÃO ...

. DESORGANIZAÇÃO E DESORDEM

. DIA DA INDEPENDÊNCIA NACI...

. A SOCIEDADE ESPECTÁCULO

. ECONOMICISMO, OPINIÕES E ...

. LEITURAS - 2ª Edição

. APROXIMAÇÃO À MATRIZ

. MAIS QUESTÕES CANDENTES

. LEITURAS!!!

. QUESTÕES CANDENTES

.arquivos

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

.tags

. todas as tags

.links

.Portal dos Sites

.publog

.Comunidade

Estou no Blog.com.pt
blogs SAPO

.subscrever feeds

RSSPosts

RSSComentários

RSSComentários do post