Terça-feira, 18 de Dezembro de 2007

A INDIGNAÇÃO E A RESPOSTA

     Ainda a propósito da malfadada entrevista do Inspector Geral, com a devida vénia e para que constem se trancrevem do blog Memórias uma Carta Aberta ao mesmo  dirigida e a Resposta que esta mereceu.

Domingo, 25 de Novembro de 2007

Carta Aberta ao Senhor Inspector Geral da Administração Interna

Sr. Inspector:
Em mais de trinta anos de serviço na Guarda Nacional Republicana nunca vi uma crítica tão veemente, humilhante e tão desadequada à acção das polícias como esta que V. Ex.ª desferiu na entrevista concedida ao Expresso, especialmente vinda de "dentro".
Conheço as fraquezas da organização em que estou inserido mas também reconheço tudo aquilo que V. Ex.ª omitiu e que é o que nos dá força para prosseguir: o tributo dado diariamente por milhares de agentes em prol de uma causa, amplamente reconhecido e divulgado nos órgãos de comunicação social.
Há alguns anos, Senhor Inspector, ocorreu um envenenamento de animais na via pública na zona da Lourinhã e um canal de televisão efectuou um reportagem naquela área onde entrevistou diversas pessoas anónimas, entre elas um miúdo de uns 9 ou 10 anos, a quem perguntarem o que faria se soubesse quem tinha praticado aquela barbaridade ao que o petiz respondeu: -Se soubesse quem foi informava a Guarda.
A atitude do menino revela confiança e não medo. Medo dos polícias tínhamos nós, nos anos 50 e 60 do século passado. Hoje não é assim e V. Exª sabe-o muito bem.
Então porquê generalizar?
V. Ex.ª tem responsabilidades, dirige o mais importante órgão de controlo (ex)terno da acção das polícias e não ignora a importância do papel desempenhado por aqueles que designou de "cowboys" no combate à criminalidade. Não pode ignorar que o crime organizado não se combate com rosas, nem que o problema da Guarda não é ser uma força militar, nem o facto de chamar "adversários" a quem está à margem da lei. Basta atentarmos no simples facto de eu estar a falar em combate, ou no nome de uma secção da Polícia Judiciária (Combate ao Banditismo) para percebermos que determinada linguagem belicista nada tem de errado mas se adequa àquilo que queremos exprimir.
Sinto-me ofendido, Senhor Inspector. Ofendido e humilhado. E não pense que é um qualquer sentimento corporativista. A minha opinião e visão crítica da Instituição tem sido reafirmada ao longo de dezenas de anos do serviço mais diverso, desde mero executante, nas ruas e nos campos, de pistola e bastão à cinta, até cargos de chefia e de controlo interno, de caneta em riste para "disparar" naqueles que ultrapassam os limites da legalidade... como pode ver
aqui se se dignar dar uma espreitadela.
Para quem em cerca de dois anos exerceu o cargo no mais completo obscurantismo acho que escolheu a forma mais errada de dar visibilidade à sua existência.


Boaventura Afonso Eira-Velha

P.S. Esta carta foi enviada por correio electrónico ao destinatário em 25 de Novembro de 2007. Poderei ser processado disciplinarmente por ousar dirigir-me a SEXA e manifestar-lhe a minha indignação mas não podia ficar indiferente perante tanta falta de respeito às Instituições e às pessoas.
O Senhor Inspector Geral há-de perceber que ele passará e as Instituições prevalecerão. Já assim foi e continuará a ser.

Clemente Lima disse...

Respondi ao Senhor Major, pela mesma via, nos seguintes (transcritos) termos:

Senhor Major Boaventura Eira-Velha:
Antes de mais, muito lhe agradeço a boa vontade para comigo e a frontalidade das suas afirmações.
Sobre a falada entrevista:
Reiterando tudo aquilo que referenciei ao Expresso (com nota de que os títulos tirados não são da minha responsabilidade), é meu dever significar-lhe o seguinte:
1.º - Tenho, como o Senhor Major, inteira confiança no exercício das nossas Forças de Segurança e tenho dito, em privado e em público, que «estas são as minhas polícias».
Ademais, peço meças seja a quem for, relativamente ao exercício quotidiano dessa solidariedade, designadamente para com aqueles agentes que têm sido vítimas da criminalidade que por aí campeia.
2.º - Sem embargo, devo reconhecer que há excepções e devo assinalar que, mesmo sendo excepções, a sua repetição me preocupa.
3.º - Só espero que aquilo que expressei, por mais inábil que tenha sido, proporcione a reflexão no seio de quem, com abnegação, com a generosidade cívica que reconheço à grande maioria dos militares da GNR e dos agentes da PSP, tem também por dever reconhecer e isolar as práticas e os comportamentos inadequados, que só contribuem para o descrédito das Forças e para que o cidadãos, por vezes, não confiem nas suas polícias.
4.º - Creio que as minhas preocupações serão também as suas.
5.º - Não me sinto detentor de verdades absolutas e reconheço, com cívica humildade, que (para usar a sua expressão) posso ter «escolhido a forma mais errada de dar visibilidade à minha (obscura) existência». Penalizo-me por isso.
6.º - Mas, acredite, na minha intenção, o que verbalizei foi por bem e para o bem deste País.
Reiterando o meu sincero reconhecimento e apreço pela sua frontalidade, manifesto-lhe inteira disponibilidade para, se achar que o mereço, debater consigo, viva voz, todos estes assuntos.
Peço que aceite os meus cumprimentos, respeitosos



António Manuel Clemente Lima

 

publicado por Zé Guita às 10:49
link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De Mário Relvas a 19 de Dezembro de 2007 às 12:24
Porque será que Clemente Lima não levou avante o que sabe e disse?


Comentar post

.mais sobre mim: ver "Zé Guita quem é"

.pesquisar

 

.Janeiro 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

23
24
25
26
27
28

30
31


.posts recentes

. COMPETIÇÃO OU COOPERAÇÃO ...

. DESORGANIZAÇÃO E DESORDEM

. DIA DA INDEPENDÊNCIA NACI...

. A SOCIEDADE ESPECTÁCULO

. ECONOMICISMO, OPINIÕES E ...

. LEITURAS - 2ª Edição

. APROXIMAÇÃO À MATRIZ

. MAIS QUESTÕES CANDENTES

. LEITURAS!!!

. QUESTÕES CANDENTES

.arquivos

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

.tags

. todas as tags

.links

.Portal dos Sites

.publog

.Comunidade

Estou no Blog.com.pt
blogs SAPO

.subscrever feeds

RSSPosts

RSSComentários

RSSComentários do post