Quarta-feira, 3 de Março de 2010

FOLHEANDO - VII

O V Império e o primado do espírito em António Vieira

O padre António Vieira foi caracterizado e interpretado por Miguel Torga como “aluno de Bandarra e mestre de Fernando Pessoa, no Quinto Império que sonhou, sonhava o homem lusitano à medida do mundo.

        Como lembra Adriano Moreira, convém analisar a relação entre o manifesto político que Camões registou em Os Lusíadas, projectando Portugal para o futuro; e a visão do Quinto Império proposta por Vieira, com origem no sebastianismo, alimentando a esperança de redenção após o desaire nacional, como forma de legitimar o movimento independentista português.

       A história da literatura portuguesa tem vindo a colocar em destaque a qualidade dos sermões e das cartas de Vieira e dando menos importância a outro tipo de textos, que podemos classificar como utopia de intervenção política e patriótica.

         Em 1659, Vieira escreveu uma carta ao bispo do Japão expondo a sua teoria do Quinto Império (depois de assírios, persas, gregos e romanos), segundo a qual Portugal estaria predestinado a ser a cabeça de um grande império do futuro. E deixou para a posteridade, com perduráveis reflexos, “A História do Futuro”, “Clavis Prophetarum”, “Esperanças de Portugal”, “Defesa do Livro Intitulado Quinto Império”… Fundamentado numa cultura vastíssima e multifacetada, tal como Savonarola, correndo perigos por falar do futuro, utilizou a via profética para apresentar uma nova visão do tempo e da história que viria a realizar-se com carácter universalista mas conduzida pelos portugueses, utilizando a sua espiritualidade tendente a conjugar o sonho e a realidade.

          Esta visão do Quinto Império, por um lado, anunciava a futura fusão entre o humano e o divino, mostrando o caminho de harmonia entre os povos como forma de alcançar a paz e a felicidade universais, independentemente de origem, raça ou religião; por outro lado, originava um mito, constituindo um autêntico manifesto mobilizador em defesa da portugalidade que se tornava necessário recuperar da queda em Alcácer Quibir e da dominação filipina.

   Vieira deixa clara a natureza deste Império, afastando a dúvida entre o temporal e o espiritual: “Assentado … que este Império de Cristo e dos Cristãos … é principalmente o da Terra e não o do Céu … perguntamos agora se há-de ser espiritual ou temporal … começando pela conclusão, diremos primeiramente que … é império espiritual. … Sendo pois estas as acções daquele Senhor a quem antes de vir ao Mundo todos os profetas chamaram Pai, e em seu nascimento foi aclamado Rei e em sua morte intitulado Rei; e sendo todas elas ordenadas só à salvação e perfeição dos homens e dirigidas e encaminhadas ao Céu, cujo reino lhes pregou e prometeu sempre, e estando até aquele tempo fechado, lho abriu e mereceu com seu sangue; que maior sentimento se pode desejar, nem que maior demonstração ou evidência de ser o Reino e Império deste santíssimo e soberaníssimo Rei, Reino e Império espiritual? Foi Reino e Império espiritual no fim e causas de sua instituição, espiritual nas leis, espiritual no governo, espiritual no uso, nas execuções e no exercício; e suposto que dizemos há-de ser sempre o mesmo (nem é decente nem seria crível outra cousa), em qualquer tempo futuro será e há-de ser também espiritual.(História do Futuro, volume II, Livro II, Capítulo III)

           Construção espiritual de Vieira, o sonho do Quinto Império representa um forte impulso para o renascer da esperança em Portugal.

publicado por Zé Guita às 12:37
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim: ver "Zé Guita quem é"

.pesquisar

 

.Janeiro 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

23
24
25
26
27
28

30
31


.posts recentes

. COMPETIÇÃO OU COOPERAÇÃO ...

. DESORGANIZAÇÃO E DESORDEM

. DIA DA INDEPENDÊNCIA NACI...

. A SOCIEDADE ESPECTÁCULO

. ECONOMICISMO, OPINIÕES E ...

. LEITURAS - 2ª Edição

. APROXIMAÇÃO À MATRIZ

. MAIS QUESTÕES CANDENTES

. LEITURAS!!!

. QUESTÕES CANDENTES

.arquivos

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

.tags

. todas as tags

.links

.Portal dos Sites

.publog

.Comunidade

Estou no Blog.com.pt
blogs SAPO

.subscrever feeds

RSSPosts

RSSComentários

RSSComentários do post