Sábado, 8 de Maio de 2010

DESFAZER CONFUSÕES...

          Ainda a propósito de tomadas de posição por parte de figuras públicas com especiais competências em matéria de Segurança Interna, aqui se recorda mais uma com bastante autoridade.

 

 

CORREIO DA MANHÃ – 20/12/2009

Grande entrevista: Figueiredo Lopes

(...)

CM: É preciso mudar a forma como encaramos a nossa segurança? 

FL: O conceito que nós vamos pôr em desenvolvimento no âmbito do congresso é um conceito novo, que tem hoje uma abrangência diferente do passado, em que se separavam os conceitos de defesa nacional e de segurança interna. Hoje em dia há um conceito de segurança nacional que, de certo modo, implica todos os instrumentos de que o Estado dispõe para proteger as pessoas e defender os interesses nacionais. As ameaças vão desde as calamidades nacionais até aos atentados terroristas, o que exige um trabalho de planificação. O objectivo deste congresso é o de, partindo destes conceitos, é promover uma reflexão sobre estas matérias, em segundo lugar, sensibilizar os cidadãos para estas realidades, e tentar identificar contributos para fornecer ao poder político, no sentido de serem definidos pelos órgãos competentes, os grandes objectivos de uma estratégia de segurança nacional.(…)

Para mim é fundamental, a bem da segurança e para maior eficácia do sistema, que se evite de todo que existam duplicações e, pior ainda, que haja competição entre forças. Competição no sentido de, a dada altura, estarem numa corrida para verem quem é o primeiro a atingir o objectivo, como seja identificar o criminoso ou identificar os factos que estão na base da criminalidade. (…)

estamos a falar da necessidade de encarar a segurança como um sistema integrado, em que os vários órgãos e instrumentos de que o Estado dispõe para a segurança e a defesa possa interagir no domínio das suas competências e em função das necessidades. (…)

CM: Outra discussão já antiga é a da tutela da GNR, PSP e PJ. Há quem defenda que as três forças deviam estar sob o mesmo ministério e até quem advogue a fusão entre polícias. Qual é a sua opinião? 

FL: Devem-se separar as duas questões. Primeiro, relativamente à tutela única – falando de colocar sob o mesmo ministério a PJ, PSP e GNR – eu não me oporia a essa solução, mas não a considero necessária. Mais importante do que a tutela única é a cooperação efectiva e eficaz das forças e serviços de segurança. Quanto à questão da fusão de forças policiais, defendo a manutenção da situação que temos por diversas razões. A mais importante delas é a necessidade de mantermos uma força do tipo da GNR, de natureza militar que, de certo modo, na evolução de todo o sistema de segurança e defesa desempenharia o papel de charneira entre as forças policiais e as forças militares. É uma resposta avançada a uma situação que vivemos hoje, em que as Focas Armadas não têm competências no plano interno. A segunda razão é porque a GNR faz a cobertura da chamada quadrícula territorial, ocupa mais de 90% do território nacional e isso em si mesmo justifica que mantenha a natureza de organização com estatuto de corpo militar, que lhe confere maior capacidade de resposta para essa função de cobertura territorial.

CM: Não defende então que a GNR se possa transformar numa força civil? 

FL: Não, de modo nenhum. Aliás é uma solução que hoje é indiscutível em países como a França, a Espanha, ou Itália. A GNR é uma força que desempenha tacticamente as mesmas funções que a PSP, mas tem uma natureza que lhe confere uma especificidade e que corresponde a uma necessidade de estruturar o sistema de segurança em patamares diferentes. A GNR aparece num patamar mais exigente, que exige uma capacidade de resposta bastante mais evoluída.

 

 

publicado por Zé Guita às 09:34
link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De Veritas a 18 de Maio de 2010 às 10:18
Não sei em que este senhor se baseia para dizer estas "banalidades transcendentais ", espécie de desígnio divino-fatalista.Autoridade baseada em ciência de vão de escada para além das falácias costumeiras. Ponham os olhos no que se fez na Áustria . Não somos um país rico para andar a gastar dinheiro na duplicação de polícias. A despesa primária do Estado está a levar o país á falência. O Estado continua capturado pelos interesses corporativos de gente que se banqueteia despudoradamente à custa do orçamento. Esta gente não tem a mínima consciência do estado do país. Continuem a gastar que por este andar nem PSP, nem GNR, nem nada. Apenas um protectorado pobre com a mania das grandezas. Mas a Merkl já nos vai tratar da saúde... (lá não há gendarmeries e outras fantochadas do género é que o dinheiro dos contribuintes é tratado judiciosamente)
Estude o caso Austríaco .</a> Leia o estudo do Severiano Teixeira sobre este case study Austriaco .</a> sem preconceitos e tendo em mente o imperativo patriótico de que o Estado não pode continuar a esbanjar dinheiro. Se a GNR e a PSP tiverem de acabar para dar lugar a uma polícia única, paciência. O país não é rico e os sacrifícios têm que ser feitos, principalmente da parte dos que se dizem militares e que morrem pela pátria.


De Jorge Gourgel a 5 de Junho de 2010 às 05:07
Pelas notícias de crise,
Pelas dúvidas do futuro,
Pela instabilidade de emprego,
Pela crise económica mundial,

Deixamos de pensar ou adiamos o nosso bem estar, o que nos é útil diariamente é esquecido.

Por experiência devido aos pontos citados esta-se a perder o costume das revisões aos equipamentos, só somos chamados e com mais frequência quando ja não há nada a fazer,
torna-se mais caro para o cliente pois em muitos casos têm que ser substituidas peças caríssimas.

Verifique o estado de funcionamento dos seus aparelhos,
poupe fazendo uma revisão anual

Nós ajudamos-lhe a poupar
Somos uma empresa que presta serviços de assistência técnica em ESQUENTADORES e CALDEIRAS


Serviços:
- Reparação de avarias
- Revisões periódicas
- Limpeza de aparelhos( esquentadores e caldeiras )
- Conversão( mudança do tipo de gás )
- Venda e Montagens
- Teste dos níveis do monóxido de carbono


Para toda gama de Esquentadores e Caldeiras
Ligue e marque mediante a sua disponibilidade

Tlm - 914568291 - 963835035
Jorge Gourgel


" O futuro pertence aqueles que se preparam hoje para ele "
anónimo




Comentar post

.mais sobre mim: ver "Zé Guita quem é"

.pesquisar

 

.Janeiro 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

23
24
25
26
27
28

30
31


.posts recentes

. COMPETIÇÃO OU COOPERAÇÃO ...

. DESORGANIZAÇÃO E DESORDEM

. DIA DA INDEPENDÊNCIA NACI...

. A SOCIEDADE ESPECTÁCULO

. ECONOMICISMO, OPINIÕES E ...

. LEITURAS - 2ª Edição

. APROXIMAÇÃO À MATRIZ

. MAIS QUESTÕES CANDENTES

. LEITURAS!!!

. QUESTÕES CANDENTES

.arquivos

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

.tags

. todas as tags

.links

.Portal dos Sites

.publog

.Comunidade

Estou no Blog.com.pt
blogs SAPO

.subscrever feeds

RSSPosts

RSSComentários

RSSComentários do post